Nas grandes cidades, já não são novidades os problemas causados pelo trânsito caótico, problemas de manutenção ou superlotação com transportes públicos, sem contar quando as empresas acabam se instalando lá, como no dito popular, “onde Judas perdeu as botas”.

Para estas empresas – que muitas vezes não sabem nem como mensurá-los – existe um enorme prejuízo diário com atrasos, perda de produtividade e custos de deslocamento em excesso.

Por esta razão apresentamos abaixo 3 propostas de trabalho flexíveis para começar a praticar agora em sua organização:

 

Short Friday e horários flexíveis

Esta talvez seja a prática mais facilmente adotada na sua empresa, algumas vezes pela necessidade de gerenciar um enorme público interno, como é o caso do Santander, outras simplesmente pela cultura de trabalho onde o que importa são as entregas e resultados estabelecidos, o qual exige que pessoas ultrapassem inclusive do limite das 8 horas estabelecidas por contrato muitas vezes.

O Short Friday uma forma de promover qualidade de vida, seja uma vez por mês ou semanalmente. Não há perda de horas/trabalho, pois as mesmas são compensadas durante o ano, além disso, possibilita mães, colaboradores de cidades satélites ou mesmo àqueles em que a função tem um retorno menos produtivo neste momento da semana por fatores externos ou do próprio negócio. Confira nesta matéria 8 empresas brasileiras que praticam o short Friday e que você pode se espelhar.

 

Homeffice

Uma realidade cada vez mais presente em nosso dia-a-dia, trabalhar em casa é uma alternativa que se bem orientada pode trazer resultados significativos para sua organização. Em uma pesquisa realizada em uma empresa de call Center, os próprios fundadores  admitiram ter um ganho de produtividade em cerca de 30%, economizando inclusive uma média de 1.900 dólares por colaborador, ao considerar a mobília e gastos com escritório.

Um fator importante sobre o assunto – como ressalta a matéria da Forbes, é a falta de confiança dos gestores em saber se seus liderados estão produzindo. Entretanto, é um ledo engano confundir presença no escritório com alta produtividade, segundo o escritor e empresário Kevin Kruse, o real fator da insegurança é não estabelecer métricas claras de trabalho, afinal, o combinado não sai caro.

Kruseita também 10 benefícios levantados pelos funcionários que praticam home office – registrados em um estudo da Microsoft chamado “Work Without Wall” (“Trabalho sem Muros”) – os 5 primeiros são: menos distrações, maior produtividade, fuga do trânsito, economia de combustível e equilíbrio casa/trabalho.

Caso sua empresa ainda esteja “engatinhando” com esta prática, sugira um pequeno teste! Mesmo grandes organizações como bancos e até o setor público começam passo a passo.

 

Coworking

Este já é um passo mais inovador e aqui vai a fala de quem vive isto diariamente, pois a própria Mobicity nasceu e respira o coworking diariamente no Impact Hub, eleito o primeiro entre os melhores espaços compartilhados em vários lugares do mundo. Sim, gostamos de reconhecer. J

Imagine trabalhar em um lugar como o seu escritório, mas cada mesa ao lado sendo uma empresa diferente e ainda podendo ser um potencial parceiro. Imagine então este escritório estando apenas 4 quadras da sua casa, é a qualidade de vida procurada por todo cidadão que vive em caóticas metrópoles, são inúmeros os benefícios e você pode conhece-los clicando aqui.

 

Ok, mas e no caso das grandes organizações?

Poucas são as grandes empresas que enxergaram essa possibilidade, entretanto é uma tendência real e parcerias que incluem o tema de inovação estão sendo construídas recentemente. É possível começar como um associado individual ou já sugerir ao líder do seu departamento esta opção. Semanalmente temos encontrado grandes bancos, seguradoras, empresas de tecnologia ou cosméticos em nosso escritório, está acontecendo!

Pra quem já está acostumado a agendar reuniões no Starbuck’s mais próximo entende rapidamente o benefícios. Além disso, você pode encontrá-lo perto de estações de metrô, reduzindo a necessidade de transportes individuais e custos de estacionamento. Trabalhando em São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis ou qualquer que seja sua cidade, há grandes chances de encontrar algum perto de você, pesquise por espaços de Coworking próximos a você!

Lembre-se de que existem diversas formas de mensuração para que as empresas possam melhorar a gestão de mobilidade dos seus colaboradores.

Qualquer dúvida sobre como isto pode ser uma oportunidade, escreva pra gente e acompanhe os próximos conteúdos. 😉